Slides

Fugindo para o amor - Parte 4

Alguns minutos passaram e Yuri continuava a nos observar, seus olhos estavam vermelhos e ele parecia nervoso. Josh parecia muito confuso e eu não tinha palavras.

— Er... Quem é você e o que está fazendo em minha casa? - Josh falou nervosamente
— Quem sou eu? Ela não te contou? - Yuri fez questão de me encarar e rir loucamente. Uma pausa se fez enquanto Josh me olhava, foi então que Yuri respondeu: — Sou o namorado dela.
— Você não é meu namorado, não é nada meu! - Interrompi Yuri com uma voz mais alta do que eu podia imaginar que tinha, aquilo saiu de dentro de mim com força, eu não sabia o que fazer.
— Bom meu amor, você não avisou que viajaria, fiquei preocupado, mas pelo visto você está melhor do que eu pensava. - Yuri estava com seu sarcasmo de sempre, porém, me olhando duramente.
— Yuri, vai embora daqui! Você não é bem vindo. Eu estou bem, aliás, muito bem! - Josh olhava a cena com decepção, eu precisava me explicar.
— É com muita tristeza que eu vou embora, só queria ver no que você havia se metido.
Muito levemente, Yuri saiu pela porta que até então não havíamos notado que estava arrombada, mas eu sabia que aquilo não iria acabar ali, aquilo era uma aviso, um aviso de que eu tinha que tomar cuidado, e tinha que sobretudo fugir dali.
— Jenna, quer me explicar o que tá havendo? Quem é esse cara? - Josh me olhava como se eu tivesse feito algo horrível, e fiz, me envolver com Yuri foi uma das piores coisas que fiz.
— Josh, você precisa saber porque fugi, porque estou aqui. Senta. Por favor.
Nos sentamos no sofá e Josh pegou em minhas mãos firmemente, como se quisesse me dar apoio, lagrimas escorreram dos meus olhos e aquele filme passou novamente na minha cabeça. 
— Eu achei que havia encontrado o homem da minha vida, Yuri e eu namoramos por dois anos e decidimos morar juntos, assim como eu ele é fotógrafo e trabalhava comigo em meu estúdio em Nova York, a cerca de um ano ele começou a ficar estranho, bebia demais e começou a reclamar comigo por conta do trabalho, o fato de eu ser a dona do estúdio incomodava muito a ele. Algum tempo depois meu pai faleceu e deixou tudo o que tinha para mim, suas propriedades e todo o dinheiro no banco, Yuri ficou enciumado com o dinheiro que eu herdei e resolveu que queria administrar tudo, eu não deixei é claro, resolvemos mudar de apartamento e foi ai que ele me enganou... Me trouxe o contrato para assinar, disse que havia lido e que estava tudo ok, só faltava minha assinatura, ah como fui ingênua e burra! Assinei os papeis sem nem sequer olhar e com a ajuda de um advogado comprado ele conseguiu tirar tudo o que eu tinha, com exceção do dinheiro que eu tinha colocado em uma conta pessoal. Brigamos muito e ele passou a liderar meu estúdio e me agredir com palavras, se gabava por 'suas' propriedades, um dia, o dia que eu fugi, tivemos uma discussão e ele me jogou contra o espelho, aquilo foi o fim, consegui fugir do hospital e vim parar aqui. E isso é tudo!
—  Porque não me contou antes? Porque não confiou em mim Jenna? 
—  Eu confio em você Josh, mas vivo com medo porque não sei do que ele é capaz, eu jamais imaginaria que ele poderia me encontrar aqui. Eu preciso ir embora e fugir! 
—  Não, você não vai mais fugir, eu não vou deixar. Se nos encontramos é porque existe um propósito, okay?
—  Okay. - Ao falar isso eu lembrei do romance incrível de Jonh Green e comecei a chorar, Josh me abraçou e ficamos calados por um bom tempo, apenas curtindo aquele momento e por mais que eu tentasse, não conseguia engolir que Yuri estaria ali apenas para ver se eu estava bem, ele tinha uma intenção a mais, e eu sabia disso. Depois de darmos um jeito na porta, Josh me levou para seu quarto e ficamos juntos aquela noite, sem cobranças, apenas um protegendo o outro.

Aquela parecia a única manhã em que eu acordei sem os pesadelos, olhei para o lado e Josh não estava ali, havia apenas um bilhete.
"Bom dia princesa, fui buscar nosso café da manhã, prometo que não demoro."
E ele não demorou, pude sentir o cheirinho do pão australiano que eu amava, comecei a me vestir e quando estava penteando os cabelos fui surpreendida por Josh tampando meus olhos.
—  Ei, sei que é você! Senti o cheiro dos pãezinhos! - falei carinhosamente
— Que bom que sabe que sou eu, parece que seu querido Josh demorou mais do que devia.
—  Yuri! O que faz aqui?! - Me virei bruscamente enquanto ele me encarava.
—  Vem comigo, sem gritar. Seu querido Josh está comigo. Anda vem!
Eu sabia que algo ruim poderia acontecer, acompanhei Yuri até um carro preto estacionado em frente ao estúdio, nele haviam dois homens nos bancos da frente que permaneceram calados.
— Podemos ir. - Yuri disse com autoridade.
No caminho eu fiquei quieta, imaginando como Josh estaria naquele momento e para onde o haviam levado, preferi não contesta-lo pelo medo. Medo de perder Josh. Passamos por vários prédios, pelo parque em que conheci a pessoa que me acolheu quando eu mais estava confusa até chegar a uma espécie de galpão, Yuri desceu do carro e me puxou.
— Venha amor.
— Não sou seu amor. - Ele parecia me fuzilar com os olhos, mas não disse uma só palavra sobre isso.
— Vamos embora hoje, daqui a algumas horas e você vai poder voltar para sua vida amor.
— Yuri, entenda, você mentiu pra mim, me enganou e me agrediu! Você não me ama, já tem tudo o que é meu, porque não me deixa em paz? E onde está Josh?
— Não sei, deve ter percebido que você não estava em casa quando chegou do mercado.
— O que?! Ele não está aqui? - Fiquei furiosa, porque acreditei nele?
— Calma linda, senta ai e fica quietinha, vigiei a casa a noite toda até aquele cara sair e eu conseguir entrar, foi o momento perfeito não é? Agora posso te levar de volta.
Comecei a chorar, Yuri queria enxugar minhas lágrimas mas eu consegui socar seu estômago, ele regiu me dando um tapa no rosto e me amarrou em uma cadeira no centro do galpão. Tudo o que eu mais queria era estar livre de tudo isso.
— Você não vai conseguir me levar com você! Posso muito bem fazer cena no aeroporto!
— Ah não pode não, eu fui bonzinho e deixei seu amigo quieto porque só quero você amor. Mas se fizer cena, meus dois amigos aqui não vão gostar, entendido?

Josh
Jenna ama pães australianos, mas eu não poderia esquecer da geleia que tanto amamos, estou levando a preferida dela, a rua esta calma hoje, por sorte o mercado é bem perto e... Droga! O que é aquilo?! Como pude ser tão descuidado e deixa-la sozinha? Na esquina eu avistei um carro preto em frente ao estúdio, Jenna estava sendo colocada lá dentro, preciso me apressar, sem pensar direito pego meu carro e vou seguindo a distância, enquanto observo o carro de longe ligo para Charlie, ele é policial e com certeza irá me ajudar. Tudo pronto, a policia está avisada, não sei o que farei se algo acontecer com Jenna! O carro para perto a um galpão e eu fico a longa distância em uma esquina, aviso a localização de Jenna a policia enquanto penso no que fazer. Espera, tem alguém batendo no vidro do meu carro. Droga.
— Saia do carro e vem comigo. AGORA!

Continua... 

Parte 1 | Parte 2| Parte 3

Estão gostando da história?
Super beijo ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião aqui, é muito importante ♥

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...